25 de outubro de 2009

Antigas profissões de Lisboa (1)

                  Quando não havia semáforos ou ainda eram raros.... estava lá o Polícia Sinaleiro

                                  

         Juntos um Polícia e um Padeiro quando a distribuição ao domicílio da pão era normal e diária

                                  

O Ardina que vendia jornais pelas ruas e quando os automóveis paravam no trânsito. Meu pai comprava todos os dias o desparecido Diário Popular (que custava 10 tostões...) no cruzamento do Campo Grande com a Av. do Brasil quando o polícia sinaleiro mandava parar os carros nesse sentido.

Era norma,l após acordo entre as partes, o ardina entregar o jornal diáriamente a inquilinos de prédios sem entrar no prédio.....como? Atirava o jornal devidamente dobrado para a varanda do respectivo cliente (quando ela existia que era a maioria dos casos), com uma pontaria espectacular. Na minha rua muitos jornais eram entregues desse modo. Como eram pagos?...ao mês.

                                                

                                             Fotógrafo de rua aqui numa foto, em 1948

                                    

Ambulâncias Antigas (1)

               Ambulância do exército ( Serviço de Saúde do Exército) durante a I Grande Guerra Mundial 1914-1918

                                       

                       Ambulância “Lloyd”  de 1914, da Cruz Vermelha Portuguesa, de 1916 no Terreiro do Paço

                                        

                                       1954 Ambulância VW, dos Bombeiros Voluntários da Malveira (exterior)

       

                                                                                          Interior

                                       

A par do modelo da Volkswagen anterior, o modelo seguinte da Mercedes (nesta foto pertencente aos Bombeiros Voluntários Lisbonenses), tambem operou muitos anos. Estes duas marcas nos anos 50 e 60 eram dominantes neste tipo de viatura.

                                       

24 de outubro de 2009

Antigos Cinemas de Lisboa (1)

O “Cinema Arco Íris” ficava ao lado da entrada principal do Coliseu dos Recreios de Lisboa e no mesmo edifício, na Rua das Portas de Santo Antão. Inaugurado nos anos 40 do século XX, viria mais tarde a ser convertido, depois do 25 de Abril, num estabelecimento de Peep-Show. Após pouco tempo de existência fechou e deu origem a um café e bar .

                                 

Na foto seguinte o famoso “Apolo 70”. Av. Júlio Dinis junto ao Campo Pequeno. Inaugurado em Maio de 1971, além de ter 41 lojas, snack bar inovador e bowling de 4 pistas teve no seu interior um cinema com o mesmo nome. Foi o segundo Centro Comercial do país e de Lisboa. O primeiro foi o “Tuti-Mundi”, na Av. de Roma, que hoje se chama Centro Roma também prestes a encerrar.

                                  

O Apolo 70, tinha um snack-bar muito bom na sua cave. Fui lá almoçar durante alguns anos todos os Sábados e Domingos na minha juventude. Este cinema encerrou nos anos 90 do século XX. A seguir ao “Apolo 70”, foi inaugurado o “Centro Comercial Imaviz”, na Avenida Fontes Pereira de Melo.

Já agora sabe que carro está na figura? ....Uma marca francesa já desaparecida há muitos anos...Simca 1000. O meu pai teve um destes nos anos 60 do século XX.

18 de outubro de 2009

Marinha de Guerra Portuguesa (1)

                                                                 Canhoneira Açor, de 1876

                             

                                                Couraçado blindado Vasco da Gama, de 1901 

                               

                                                        Cruzador Carvalho Araújo, de 1923

                              

TAP noutros Tempos (1)

                    lº Boeing 727-82C, em 1971, ainda em fase de construção, encomendado pela TAP

                                          

                                                        Baptismo do 1º Boeing 707, em 1965

                                          

                                                     Chegada do 1º Boeing 747-282 B, em 1972

                              

                                                   Um bagageiro da TAP, no aeroporto de Lisboa

                                           

                                    Serviço a bordo de um “Caravelle”, primeiro avião a jacto da TAP

                                           

Algumas Empresas de Transporte de Passgeiros

                                                 Empresa Eduardo Jorge (modelo de 1944)

                             

                                                                Empresa Barraqueiro

                             

Os Claras que dominavam os transportes de passageiros a norte de Lisboa na zona centro do país

                             

                                                                 Arboricultora, de Caneças

                             

                                        Transportadora Setubalense, de João Cândido Belo

                             

Todas estas empresas foram nacionalizadas, após 25 de Abril de 1974, e passaram a a englobar o universo da Rodoviária Nacional. A família Pedrosa recuperou, nas reprivatizações, a empresa Barraqueiro entre outras.

Antigas Estações dos Correios

                                                                     Estação de Estremoz 

                            

                                          Interior da Estação dos Restauradores, em Lisboa

                             

                                                     Interior da Estação do Terreiro do Paço 

                             

Carris no Aeroporto de Lisboa

Em 1948 à porta do novíssimo Aeroporto de Lisboa, estacionava o autocarro da recém inaugurada carreira para o Aeroporto da Portela

                             

Aeroporto de Lisboa (1)

Por ocasião da "Exposição do Mundo Português" em 1940 foram mandados construir dois aeroportos em Lisboa. Como aeroporto terrestre o "Aeroporto da Portela",  cuja entrada ao serviço se verificou em 15 de Outubro de 1942 (cujo custo foi de 70.000 contos ou sejam 350.000 euros) e projectado pelo arquitecto Keil do Amaral, e como aeroporto marítimo, o "Aeroporto Marítimo de Cabo Ruivo", à beira do Rio Tejo e a cerca de 3 km do primeiro. Para uma ligação rápida por automóvel entre os dois aeroportos foi construída a  Avenida Entre-os-Aeroportos hoje Avenida de Berlim.

                            

                              Torre de controlo inicial, e dois Douglas DC-3 militares estacionados

                               
                                       
Durante a II Grande Guerra Mundial e com Portugal como país neutro, este aeroporto foi muito utilizado como escala de aviões a caminho de Gibraltar, Norte de África e Cairo. A companhia portuguesa existente na latura era a  "Aero Portuguesa", fundada em 22 de Junho de 1934 pelo Comandante João Júdice de Vasconcelos.

                                               

O sistema de voos transatlânticos funcionava com os hidroaviões vindos da América, amarando no rio Tejo e desembarcando os seus passageiros em Cabo Ruivo. Daí, eram transportados por automóvel até à Portela. No "Aeroporto da Portela" eram distribuídos pelos diversos aviões que os iam levar aos diferentes destinos na Europa. Os passageiros que iam da Europa para a América faziam o percurso inverso. O Aeroporto Marítimo de Cabo Ruivo foi desactivado nos finais dos anos 50 passando a operar, para todos os destinos, apenas o "Aeroporto da Portela" em Lisboa.

Terminada a guerra, em 1946 já operavam regularmente em Lisboa a Air France, British European Airways (BEA), Iberia, KLM, Sabena, Pan Am e a Trans World Airlines (TWA).

           Torre de Controle mais actualizada                                 Aspecto do interior do Aeroporto

    

                            

E seu aspecto exterior onde se podem avistar um «Douglas DC4» uma autocarro antigo de passageiros e um autocarro da "Carris" que fazia as ligações com o centro (ver post de 18/10/2009).

                              
Fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Já com a Torre de Controle ainda mais moderna, em 1955, um «Locheed L-1049G Super Constellation» da TAP

                               

A renovação deste aeroporto começou em 1959 e completada em 1962, que incluiu nova pista de 3.130 mts de comprimento. Com esta nova pista o aeroporto estava habilitado a receber a nova geração de aviões a jacto, «Boeing 707» e «Douglas DC-8». O 1º avião a jacto a aterrar em Lisboa foi um «Caravelle » da Air France em 1960.
Uma curiosidade... em 29 de Junho de 1939 teve lugar o primeiro voo comercial transatlântico da História New York-Lisboa , protagonizado pelo "Dixie Clipper" um hidroavião «Boeing 314» quadrimotor da Pan Am Airways, o qual , além de passageiros e bagagem , transportava também correio. A viagem durou exactamente 24 horas após uma escala de 1h30m na cidade da Horta nos Açores para reabastecimento.

11 de outubro de 2009

Eleições ...Votar ...

                                       Panfleto do Partido Republicano, em 1906  

                              

Tempo de Campanha Eleitoral

                      Já em 1920 se fazia campanha eleitoral em automóveis como retrata esta foto

                             

Moto com Side-Car

                                                 Em 1922 uma moto com side-car, em Aveiro

                             

Transporte de um Automóvel entre Margens

Em 1910 a travessia entre as margens dos rios fazia-se em barcaças como esta foto demonstra.

                              

Agência Bancária e Companhia de Seguros

                                                      Caixa Geral de Crédito e Previdência

                            

     “Companhia de Seguros a Mundial” em 1914. Situava-se no coração do Chiado, no Largo das Igrejas

                             

Banca de Jornais e Revistas

Uma banca de venda de jornais e revistas, em 1967. Bem menos “atafulhada” de oferta do que as dos dias de hoje, e bem mais modesta.

                             

Paquetes Portugueses (2)

                    Paquete “Império” da “Companhia Colonial de Navegação”. Navegou entre 1948 e 1974 

                                   

         Paquete “Colonial”. Também da “Companhia Colonial de Navegação” . Navegou entre 1929 e 1950

                                   
  
                   Paquete “Angola” da “Companhia Nacional de Navegação”. Navegou entre 1948 e 1974

                                  

10 de outubro de 2009

Desempanagem Automóvel

Já no início do séc. XX, além dos furos também ocorriam panes automóveis, como carro atolado, etc... Aqui assistimos ao serviço de desempanagem eficiente .....

                             

Passeio Público

Muita gente não sabe decerto que no lugar hoje ocupado pela Av. da Liberdade, se situava o “Passeio Público" onde as "madames" se mostravam e as suas vestes também. A área ocupava a zona desde a Praça dos Restauradores até à actual Praça da Alegria, como se poderá ver na planta.

                                                    Entrada do “Passeio Público” ,em 1850

                             

                                                           Área central do “Passeio Público”

                             

                                           Entradas e terraço do “Passeio Público” - Lado Norte

                              Passeio Público.2

                                                          Planta do “Passeio Público”, de 1807